Enterrando A Banana No Cú

Enterrando A Banana No Cú

Enterrando A Banana No Cú

Gostava de penetrar tudo o que parecesse com um pau – tubo de shampoo, desodorante, escova de cabelo, pau de vassoura, pepino, banana, linguiça… Até experimentar pela primeira vez um consolo.

Mas aceitou! Fui colocando e tirando a cabeça dele, e ela suspirando e arranhando o lençol, até que coloquei a cabeça toda e mais metade, em que ela deu um grito misturando muito prazer e dor, virou pra trás e disse “come meu cu, eu sei que você sempre quis comer o cu”.

Ela deu a mão para nós dois e fomos enfrentando as ondas até passar onde elas quebravam, eu ficando com a água na altura do peito e ela boiando se apoiando nos meus ombros com aquela bucetinha sobre a agua, Silvio nadou um pouco até mais longe e eu a puxei de frente para podermos conversar, ela me abraçou me envolvendo com os braços e pernas, eu perguntei o que ela queria fazer e ela me respondeu que nada, só curtir um pouco de liberdade, falei que ela estava me deixando louco de tesão então ela me falou para guardar para casa mas levou a mão até o meu pau acariciando-o e sentindo que estava duro como pedra, tentei puxar ela para enfiar a rola nela ali mesmo mas ela não deixou, disse que ainda não, coloquei meu dedo na buceta dela enterrando mas ela se impulsionou nadando se afastando de mim. Eugenia, ou negona gostosa, primas e as beatas da area, todos em fila indiana, la vamos nós, igreja lotada, ofertas colocadas (milhos, laranjas, aboboras, melancias, feijão, leite) para o Padre abençoar e se fartar pois ficava tudo pra paróquia, celebração finda todos a se cumprimentar trocar novidades, atualizar fofocas, ou seja voltamos todos aos pecados, principalmente os filhos de Secundino e D Laura, ou seja os viadinhos e as putinhas da região, atacação total partimos em bloco atras de pica arrastão geral, minha irmã mais nova Marina foi pro confessório e atacou a pica de Padre Fidelis, Tereza, atacou o pobre do jardineiro da igreja no deposito de ferramentas, Maria, disse a mãe q iria na casa de Tia Lina com Bianca nossa prima, esta ja havia acertado com 2 vaqueiros novatos na região e foram fazer suruba dentro da mata fechada (Maria adora chupar uma boceta) e nós dizemos a Painho que iriamos com os 4 peões da fazenda jogar sinuca na birosca pertinho da igreja porém bem distante do sitio pra não ter horário de voltar.