Sozinha Em Casa De Quatro Masturbando Minha Xoxota E Meu Cuzinho

Sozinha Em Casa De Quatro Masturbando Minha Xoxota E Meu Cuzinho

Sozinha Em Casa De Quatro Masturbando Minha Xoxota E Meu Cuzinho

"Nota do Autor:Depois que aquela pica grossa já estava tudo dentro do meu cu, ele socava inteirinho e tirar até a portinha e depois socava de novo, apesar daquela dor horrível, eu comecei a sentir prazer a cada socada que ele dava ai eu pedi pra ele socar mais rápido e com mais força, meu sogro dava tapas na minha bunda, me chamava de gostosa e falava que o meu cu era uma delicia, de tanto ouvir pavões e sacanagens, eu entrei em transe e gozei como nunca havia gozado na vida, rapidamente ele tirou o pau do meu cuzinho e gozou na minha boca, fazendo com que eu bebesse toda a sua porra, depois nós tomamos um banho bem gostoso e ele me deu uma carona até a minha casa e durante quinze dias seguido, depois do banho, eu ganhava uma carona ……. então a freira disse que poderia ser no quarto dela, pois a amiga dela viajou pra ver os parentes e ela estava sozinha.

Foi quando ouvi uns gemidos altos e fortes, era a Hellen com o cabo da escova de cabelos entrando e saindo da xoxota num movimento de vai e vem alucinante. Então ele volta para traz de mim coloca a camisinha e coloca de novo na minha buceta e com suas mãos na minhacintura com socadas rápidas e firmes, fode minha buceta e realmente confesso que o vigor físico dele quase faz eu pedir para parar, mais disposta a receber o que eletinha pra me dar, fiquei ali por um tempo até tirar de mim, retirar a camisinha e fica atras de mim se masturbando até gozar e derramar sobre minha bunda, não era muitamas senti o quente do leite, então me abraça por traz e nos deitamos na cama, ele me beija novamente.

Me inclinei e comecei a chupar aquela rola, meu deus, estava realizando outra vez meu sonho, adoro chupar aquele pau (apesar de ser o unico que ja chupei HAHAH) gabriel abriu sua carteira, sacou uma camisinha e pediu pra que eu colcasse em seu pauDepois de colocar, felipe deitou sobre o chão, e pediu pra que eu sentasse de vagar, fui sentando sentindo tudo entrar novamente, dessa vez mais facil por causa da camisinha, sentei e senti seus pelos batendo na minha bunda, entrou tudo até o talo!! rebolei na sua pica, e queria mais, comecei a sentar e levantar com força, jogava bem meu peso encima de seu pau, ele gemia de prazer, jogou seu peso pra frente, me inclinando, me deixando na posição de 4, começou a bombear forte, empurrava no meu cu como se fosse uma buceta arrombada, eu sentia um prazer enorme, e queria que ele demorasse pra gozar, então essa vez foi um sexo mais real, comecei a sentir que meu primo ficava ofegante de tanto meter, e dava gemidos baixos de prazer. Já no domingo, depois que voltei do centro, busquei a cadela,dei um outro banho nela, e trouxe de volta pra dentro de casa; ela estava toda desconfiada e assustada, talvez porque estava adivinhando o que eu ia fazer com ela, cuspi no dedo e coloquei na sua bucetinha; fiz várias tentativas até ela se acostumar com meus três dedos nela , não foi fácil!!Fiquei peladão, depois de muito treino num abre e fecha da bucetinha da filosinha, eu estava preparado para descontar na minha cadela todo ódio que tinha no membro inferior debaixo, nela !! Segurei o seu traseiro lubrifiquei bem a bucetinha dela e o meu caralho com gel lubrificante…virei o traseiro da cadela e pus a cabeça da minha pica na buceta da minha amiguinha, mais não entrou! Depois de duas tentativas arrumei um jeitinho e penetrou a cabeça deu pra sentir o calor dela quando me preparei para empurrar com mais força nela,ela deu um latido, alto e rápido, eu tomei um susto! Então peguei ela pelas patas traseiras levantei e dei duas palmadas de quatro dedos na sua bucetinha e ela não conseguiu ficar em pé por causa da dor e do mendo, eu senti muito prazer quando vi aquela cadela, daquele tamanho se torcendo toda,choramingando pelos cantos sem poder se defender de mim e sendo minha vitima,meu pau começou a babar e latejar rapidamente como estivesse soluçando, eu estava usando meu lado sádico nela.